quarta-feira, 12 de março de 2008

Gian Calvi, o mestre que deu asas a Juazeiro.


O tempo passa, o tempo voa, e uma distância
de 40 anos separam o nascimento, e o desabrochar
de Juazeiro do Norte, para a mídia, e para o título de maior
produtor de arte popular do interior cearense.

Quando fui de mudança para o Rio de Janeiro
na década de 60, levei a tiracolo, uma boa quantidade
de peças artesanais produzidas no nosso Cariri.

No Rio tive a sorte de ser adotado por um dos mais
importantes artistas plásticos, e designer gráfico da época,
o italiano Giavittore Calvi, mais popularmente
conhecido por Gian Calvi, que ficou encantado
com a qualidade e criatividade daquelas peças.

Fui convidado a uma viagem, e como cicerone,
desembarcamos no aeroporto do Crato,
e durante uma semana percorremos, fotografamos,
e gravamos, tudo que pudesse servir de base
para uma grande exposição que seria realizada
no eixo Rio/São Paulo.

Com o empenho do Dr. Mauro Sampaio, Padre Murilo,
Aderson Borges, e mais um grupo de pessoas de Juazeiro,
juntou-se o que de mais significativo representava
o lado cultural da cidade, e foi enviado para o Rio.

Com o patrocínio da Aroldo Araújo Propaganda,
montou-se no Museu de Arte Moderno, uma mostra
intitulada “Nordeste da Bússola” que bateu todos
os recordes de visitação, e inserção na mídia, que uma
exposição já tivesse conseguido até a presente data.
O sucesso foi total.
Banda de Pífanos, Artesões, Bordadeiras, Violeiros,
e todos que ajudaram nesse trabalho vibravam
de contentamento.

Nasceu aí a verdadeira investidura de Juazeiro,
no cenário mundial.

As pessoas que fizeram parte dessa história, Dr.Mauro,
Pedro Bandeira, e mais alguns poderão relatar muito bem
o que foi essa empreitada. Juazeiro conheceu a glória,
e o mundo abriu as portas para sua arte.

Mestre Noza, José Ferreira, Manoel Graciano,
Cícera Araújo, Cicera Fonseca da Silva, Nino do Crato,
Zulmira, Cizim, foram um grande exemplo.

E hoje me pergunto?

Juazeiro algum dia fez um ato de reconhecimento
ao mestre Gian Calvi?

Alguma comenda passou pela Câmara de Vereadores
retribuindo essa obra maravilhosa dedicada a Juazeiro?

Está na hora de consertar esse grande erro,
e esquecimento, e fazer do grande artista, no mínimo,
um verdadeiro e legítimo Cidadão Honorário de Juazeiro.

Elmano Rodrigues Pinheiro

5 comentários:

Taciano Pinheiro disse...

Olá Elmano, seus textos são sempre muito bons! Estou sempre acompanhando. Parabéns!

elmano rodrigues pinheiro disse...

Tenho me esforçado, para contribuir com algo que possa trazer coisas positivas, dentro daquilo que o blog se propõe.
Temos tudo para dar nossa participação, e fazer com que as pessoas acreditem na proposta.
Vamois à luta.

elmano rodrigues pinheiro disse...

Tenho me esforçado, para contribuir com algo que possa trazer coisas positivas, dentro daquilo que o blog se propõe.
Temos tudo para dar nossa participação, e fazer com que as pessoas acreditem na proposta.
Vamos à luta.

grtacrapa disse...

Elmano, acabo de ver teu texto a meu respeito. Obrigado. Volto no tempo na ótima experiência que foi conhecer e promover a criatividade da gente do Cariri. Acima de tudo é uma emoção presente que não se apaga.
Vejo e leio que você é hoje um ótimo escriba.

Gostaria de me comunicar com você Elmano.
Meus tels são:19-3872 1028 e 3872 1181
e-mail: gratacrapa@gmail.com
Trabalho em Snao Paulo, perto de Campinas, como consultor da Petrobras em desenvolvimento social e ambiental.
Um grande abraço, teu amigo Gian
Um abraço do Gian Calvi

Ana Paula Araújo disse...

Olá Elmano,
parabéns pelos textos.
gostaria de saber se você tem algum mateiral extra sobre D. Ciça (Cicera Fonseca da Silva) pois estou fazendo um trabalho sobre sua arte. Estou no Rio de Janeiro.
Abraços Ana Paula
aparaujoa@oi.com.br