sábado, 23 de abril de 2011

Minha terra


Terra de amor eterno
Jamais te esquecerei
Meu ninho acolhedor
Sonho que sempre sonhei
Amo-te de tal forma
Que nunca imaginei.

Ao ouvir todas as manhãs
O canto dos passarinhos
Parecem hinos cantados
Na voz de anjos divinos.
Suspiros soltos no ar
Murmuro sem ter destino.

Terra sagrada sem guerra
Cofre de paz e de luz,
De vales fecundos que correm,
As águas do Carius,
Do verbo fei-se princípio
Coroa da tua cruz

Por mais longe que eu vá
Não te esqueço um segundo
Sou um patriota nato
De sentimento profundo
Faz parte da minha história
Eis minha terra meu mundo.


Francis Gomes

http://www.poetafrancisgomes.blogspot.com/

2 comentários:

Maria de Alcantara disse...

belíssima essa minha terra, poarabéns mais uma vez

wilton prof disse...

UM POUCO DE HISTÓRIA

Começo esse relato
Falando de minha terra
Desde a rua ao pé da serra
Lugar que sou muito grato
Pôs é um belo retrato
De tudo por mim amado
Quero com isso ter passado
Aquilo que a alma sente
E tenho dito ao mundo alegremente
Que aqui eu nasci e fui criado

Esse solo de belas depressões
Dos Carius foi o lar no passado
Mas digo que se não estou errado
Começaram muitas povoações
Séc. XVIII surgiram concepções
E o território foi em fim colonizado
Isso sim com esforço redobrado
De Francisco de Braga certamente
E tenho dito ao mundo alegremente
Que aqui eu nasci e fui criado

Desce esforço nasceu o Quixara
Nome indígena “varias queixadas”
Pelas leis provinciais estipuladas
De Assaré o distrito se fara
Por um tempo nesse julgo estará
Ate ser por Santana anexado
E com algum tempo ao Crato é fixado
Tendo só dois distritos somente
E tenho dito ao mundo alegremente
Que aqui eu nasci e fui criado

Felizmente tornou-se município
Quixara finalmente é elevado
Em 36 foi do Crato desmembrado
O lugar que foi só vila a principio
Embora sendo um pouco insipio
Tendo ingá e monte pio anexado
Quincuncá também vai ser vinculado
e também Betânia futuramente
E tenho dito ao mundo alegremente
Que aqui eu nasci e fui criado


Em 15 do 12 de 53
Quixara torna-se Farias Brito
Homenagem feita a um erudito
Que o governo decidiu e assim fez
Porem no ano 63
O Cariutaba é emancipado
A Betânia tem o mesmo legado
E o Quincunca não fica indiferente
E tenho dito ao mundo alegremente
Que aqui eu nasci e fui criado


65 foi ano de retorno
E assim houve com cada distrito
À volta a compor Farias Brito
Dando a cidade atual contorno
E a terra cujo símbolo é um forno
Tem seu quadro geográfico afirmado
Orgulhosa cidade desse estado
Com boa condição e bela gente
E tenho dito ao mundo alegremente
Que aqui eu nasci e fui criado